quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

Conheça primeira YouTube com Síndrome de Down do Brasil






CONHEÇA PRIMEIRA YOUTUBER COM SÍNDROME DE DOWN DO BRASIL


Cailana Eduarda Bauer é uma jovem baiana de 22 anos, residente na região metropolitana de Salvador, que decidiu fazer em fevereiro deste ano um canal no Youtube para falar sobre sua vida, fazer paródias, dar conselhos e descrever sua rotina em vídeos semanais feitos de forma divertida com a ajuda de toda a família. Hoje ela tem mais de 10 mil inscritos que a acompanham, mas o que mais enche a garota de orgulho é ser a primeira youtuber brasileira com Síndrome de Down.
As gravações são publicadas todas as segundas-feiras e Cacai (como é conhecida pelos seus fãs) tem a participação do irmão de 14 anos, Caio, e da irmã de 17, Luiza. Dalmo, o pai da jovem, auxilia nos roteiros e Janaína, a mãe, além de ter dado a ideia de criar o canal, edita os vídeos da filha. “Ela sempre fez teatro e, quando o curso terminou, para ela não ficar sem fazer o que, mais gosta, que é atuar, resolvi levar para o Youtube a graciosidade, interpretação e carisma que a minha filha tem”, disse a mãe em entrevista ao canal G1.
A jovem namora Tino, um rapaz filho de um casal amigo da família dela e recentemente publicou uma paródia com a música de Ludmilla utilizando o namoro como tema.
Cacai já fez tanto sucesso que chamou a atenção de vários veículos de televisão, sites online e a cada dia acumula mais e mais seguidores. “Me sinto feliz, adoro dar autógrafos e fazer selfies”, comenta.
Ela foi convidada até para falar sobre seu canal em um colégio e uma universidade: “Na escola, os fãs gritaram. E assim que a cortina abriu eu disse: ‘Olá especiais da minha vida’. Eles me perguntaram um monte de coisa, e eu disse que meu sonho é ir pra Disney, que tenho uma família legal que ajuda pessoas. Passei as minhas experiências do dia a dia”, comemorou.
Já para a Janaína, é incrível a rapidez que as coisas aconteceram. “A gente fica feliz quando ela é convidada para algo, mas algumas coisas aconteceram um pouco rápido”, confessa.
Inclusão e Representatividade vs Preconceito“Muitas fanpages de inclusão sobre a Síndrome de Down, entre outras, compartilham os vídeos dela. O canal é para ajudar pessoas que tem filhos com deficiências, incentivar a troca de experiências. Já tiveram pais que procuraram a gente”, relata a mãe de Cacai ao portal.
E não é difícil que a jovem tenha que responder sobre a Síndrome de Down entre seus conselhos e dicas. Ao ser questionada por uma fã qual foi a maior dificuldade ao criar o canal, Cacai diz que “vencer o preconceito e os meus limites” tem sido o grande desafio.
E quanto a discriminação sofrida, a jovem afirma que assim como a todo youtuberhaters a perseguem, mas ela os ignora. “sim, sofro preconceito. Mas a maioria me ama.”, afima.
“Não costumamos apagar nenhum dos comentários, porque a Cacai precisa conhecer os dois lados, nem tudo são flores e graças a Deus ela tira de letra. Quando lemos um comentário extremamente prejudicial, esse sim apagamos”, explica Janaína.
Na grande maioria das vezes, é a alegria e a espontaneidade de Cacai que atrai e serve de exemplo para muitas pessoas. “É muito gratificante saber o quanto minha filha é amada pelos fãs, e o melhor retorno é quando pais de crianças deficientes me procuram para pedir ajuda e trocar experiências” comenta Jana.
Muito importante para a visibilidade e inclusão das pessoas que têm Síndrome de Down, o canal de Cacai Bauer sempre reforça o quanto é imprescindível o respeito à diferença.


Leia Mais ››

SOCIAL MEDIA

MARCADORES