segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

'Valorizo mais as pequenas coisas', afirma blogueira que venceu câncer

Lívia Hernandes, de Ribeirão Preto, retirou seio e lutou um ano contra doença .
Após cura, jovem decidiu por outra mastectomia devido à mutação genética.



Lívia Hernandes confeccionou origamis com mensagens de superação durante tratamento do câncer (Foto: Fernanda Testa/G1)Lívia Hernandes confeccionou origamis com mensagens de superação durante tratamento do câncer (Foto: Fernanda Testa/G1)
Um ano depois de ser diagnosticada com um câncer de mama, a farmacêutica de Ribeirão Preto(SP) Lívia Hernandes, de 28 anos, comemora a vitória contra a doença. Durante o tratamento no Hospital das Clínicas do município, Lívia passou por sessões de quimioterapia, radioterapia, submeteu-se a uma mastectomia, para retirada de um dos seios, e ainda teve que lidar com a queda do cabelo, consequência dos quimioterápicos.
Depois de ser ver obrigada a se adaptar à nova rotina, a farmacêutica, que se debruçou na criação de um blog para compartilhar os desafios de conviver com a doença, diz que cresceu espiritualmente e amadureceu no período em que lutou contra o câncer.
"Valorizo mais as pequenas coisas da vida. Muita gente fala sobre valorizar o presente, mas não sabe o que é isso realmente. Quando uma doença dessas chega, a gente lembra que está nessa vida de passagem", afirma.
Mesmo considerada curada do câncer, Lívia se viu diante de mais um desafio: depois de um mapeamento genético, descobriu que sofre de uma mutação que aumenta as chances de desenvolver a doença novamente. O distúrbio é o mesmo da atriz Angelina Jolie, que retirou mamas e ovários para diminuir as chances de ter câncer.
Diante da situação, Lívia decidiu passar por mais uma mastectomia. A cirurgia foi feita no dia 21 de julho. "Meu risco de ter câncer de mama de novo, a qualquer hora, é de quase 70%. Como o risco era grande, eu preferi retirar. A escolha foi difícil, mas como minha avó teve câncer de mama, e cinco anos depois teve a doença na outra mama, eu não quis correr esse risco. Passar por quimio, rádio, de novo. É possível superar a mastectomia. Já passei por isso uma vez" diz.
À esquerda, Lívia Hernandes durante tratamento contra o câncer; à direita, farmacêutica já curada da doença (Foto: Fernanda Testa/G1)À esquerda, Lívia Hernandes durante tratamento contra o câncer; à direita, farmacêutica já curada da doença (Foto: Fernanda Testa/G1)
Dias difíceis

Mesmo tentando manter o bom humor e autoestima nas idas e vindas do hospital, Lívia não esconde que passou por momentos difíceis durante o tratamento, desde a fraqueza e a debilitação do organismo nos dias posteriores às sessões de quimioterapia, até a fadiga causada pela radioterapia.

O mais difícil foi encarar que a gente é mortal. Às vezes a gente esquece disso. Vai vivendo loucamente, não reflete muito. Quando uma doença dessas chega, a gente lembra que está nessa vida de passagem."
Lívia Hernandes, ex-paciente com câncer
A farmacêutica considera, no entanto, que o mais difícil foi encarar a queda de cabelo. "Perder o cabelo foi complicado, mais difícil que a mastectomia. Eu era muito vaidosa. A mastectomia não é algo visível, não dá para as pessoas perceberem. Andei algumas vezes careca, sem lenço, na rua, e as pessoas se assustavam. As pessoas não sabem disfarçar. Isso é complicado de lidar, com essa diferença, com o fato de estar diferente", relata.
Ao observar a reação das pessoas, no entanto, Lívia disse que também tirou uma boa lição desse tipo de comportamento. "Foi interessante ver como as pessoas julgam o outro sem saber o que o outro está passando. Isso foi uma lição para mim, porque eu às vezes acabava julgando as pessoas pela aparência. A gente não sabe o que a pessoa está vivendo, o que se passa na vida dela. Isso foi importante para mim", diz.
Apoio foi fundamental

Lívia conta que o processo de recuperação da doença foi menos doloroso porque teve o apoio da família e, principalmente, do namorado, Luiz Fabiano Aguiar. "Ele foi muito parceiro. Não imaginava que ele estaria tão presente. Quando eu descobri a doença, a gente namorava fazia um ano e alguns meses. Já tinha lido vários casos de marido que abandonou mulher, namorado que largou porque não aguentou. Mas ele foi muito presente", afirma.

Lívia raspou os cabelos com a ajuda do namorado Luiz Fabiano (Foto: Arquivo pessoal)
Na época do tratamento, Lívia raspou os cabelos

com a ajuda do namorado (Foto: Arquivo pessoal)






















Na última sessão de radioterapia, no dia 13 de maio deste ano, Aguiar também estava ao lado de Lívia. Para a farmacêutica, naquele momento ela pôde fazer um balanço de tudo que passou, desde a descoberta do câncer até todos os obstáculos que teve que enfrentar.
"Fiquei meio passada. Estava lá, nos últimos minutos, e me lembrei de todo o processo. Comecei a chorar na hora. Ele disse: Calma, Lívia. Acabou. Estamos voltando para casa. Passou um filme de tudo que eu deixei naquele período. Meu trabalho, algumas atividades, tudo o que eu passei de dores, de luta. E estava acabando naquele momento", diz.
Entre os familiares, Lívia acredita que quem mais ficou tocado com a doença foi seu pai. "Para ele foi muito complicado, porque a mãe dele teve câncer. Dessa vez ele conseguiu trabalhar alguns sentimentos que ainda ficaram meio adormecidos com a mãe. Ele teve que reviver tudo aquilo. Mas a família toda se envolveu, desde minha sobrinha de cinco anos até tios que eram mais afastados", conta.
No blog, Lívia incentiva outras mulheres a encarar a doença da melhor maneira possível  (Foto: Fernanda Testa/G1)Na época em que descobriu o câncer, Livia resolveu contar sua história em blog (Foto: Fernanda Testa/G1)
Retomada das atividades

Terminado o tratamento, Lívia retomou o doutorado em toxicologia na Universidade de São Paulo (USP) em Ribeirão Preto. A farmacêutica voltou para a universidade no dia 3 de julho, e desde então se diz entusiasmada com o trabalho e com o reencontro dos colegas de pós-graduação.


"Está sendo muito gostoso. Às vezes estou andando pela USP, e passa um técnico ou uma amiga. As pessoas passam por mim e começam a sorrir. É muito gostosa essa recepção. Uma professora me encontrou, me deu as boas vindas. Ganhei um caderninho cheio de mensagens dos meus amigos. O pessoal fez festa para mim e para outra colega que acabou de chegar dos Estados Unidos. É muito gostoso e gratificante", afirma.
Além do doutorado, Lívia continua com as postagens no blog. "É interessante que até hoje, toda semana eu recebo alguma mensagem de alguém que acabou de conhecer o blog. Vou continuar com ele, porque acho importante para me ajudar a expressar o que eu estou sentindo. As pessoas me ajudam, eu ajudo as pessoas, é uma troca", diz.
Curada do câncer de mama, Lívia diz que quer curtir ao máximo os momentos com o namorado, Luiz Fabiano (Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)Curada do câncer de mama, Lívia diz que quer curtir ao máximo os momentos com o namorado, Luiz Fabiano (Foto: Divulgação/Arquivo Pessoal)
Planos para o futuro

Por enquanto, os planos de Lívia são concluir o doutorado e voltar a se dedicar às atividades que estava acostumada, como corrida, atividades físicas e aulas de ballet. Ela diz que também pretende continuar com sessões de ioga e meditação, práticas adquiridas durante o tratamento contra o câncer.


A farmacêutica também quer aproveitar a nova vida para passar mais tempo com o namorado. "Agora é que vamos nos curtir mais. Durante o tratamento, a gente queria viajar e não tinha como. Mas por outro lado, foi bom pra gente se unir mais. Estamos muito amigos, muito mais parceiros. Foi importante todo esse processo", diz.
Aprendizado

De todos os altos e baixos vividos no último ano, Lívia diz que a lição mais importante que aprendeu foi dar valor às pequenas coisas do dia a dia e a encarar que os problemas podem ser solucionados com fé e força de vontade.


"O mais difícil foi encarar que a gente é mortal. Às vezes a gente esquece disso. Vai vivendo loucamente, não reflete muito. Quando uma doença dessas chega, a gente lembra que está nessa vida de passagem. Por causa disso, você começa a valorizar mais a vida. Eu era muito ansiosa, pensava muito só no futuro. O que eu ia ser lá na frente. Hoje valorizo cada vez mais o presente. Agradeço a Deus por mais um dia. Gratidão também é importante nesses momentos. Ser grata de que eu pude retornar", conclui.
Curada do câncer, Lívia diz que aprendeu a dar valor às pequenas coisas do cotidiano' (Foto: Fernanda Testa/G1)Curada do câncer, Lívia diz que aprendeu a dar valor às pequenas coisas do cotidiano' (Foto: Fernanda Testa/G1) G1

2 comentários:

SOCIAL MEDIA

MARCADORES