segunda-feira, 4 de abril de 2016

Mamãe, quando vou viajar pra Miami?


Mamãe, quando vou viajar pra Miami?”, tornou a perguntar esta semana o Matheus, de 7 anos, que ficou cego em decorrência das complicações da perda de boa parte do intestino, devido à malformação congênita, que ataca em média 5% dos recém-nascidos no Brasil. Matheus não pode ver, mas ouviu o barulho de um avião sobrevoando o céu, enquanto brincava na área de lazer do Hospital das Clínicas de Belo Horizonte, onde tornou a ser internado esta semana com febre, sob ameaça de nova infecção.
Depois de receber a mesma recomendação judicial de buscar fazer o transplante no Brasil, a mãe de Matheus, Gecilane Oliveira Matos, de 34, conseguiu, em outubro de 2015, o parecer do médico Sérgio Paiva Meira Filho, do Hospital Israelita Albert Einstein, uma das instituições de saúde apontadas no processo como sendo aptas a fazer o procedimento em crianças. Segundo o médico, “em nosso país existem apenas duas equipes credenciadas para realizar esse tipo de transplante em adulto. Ambos fizeram apenas cinco multiviscerais e um transplante de intestino isolado no total, não havendo equipe competente para a realização desse procedimento na população pediátrica do Brasil”. Em nota, o hospital confirma que não está apto a fazer transplantes de intestino em crianças.
CAMPANHA Exatamente como Gabi, Matheus conseguiu liminar na Justiça determinando sua imediata transferência ao Jackson Memorial Institute, nos Estados Unidos, para a realização do transplante multivisceral que já recebeu o aceite do médico brasileiro Rodrigo Vianna, que atua naquela instituição e obteve índice de sucesso de 90% no primeiro ano de vida, nos últimos 15 transplantes feitos em Miami. Na campanha para ajudar o menino, que mobilizou empresários e clubes de futebol, como o Cruzeiro, a família de Matheus já arrecadou perto de R$ 700 mil, depositados em juízo em uma conta aberta em nome da mãe do garoto.
Argumentação parecida à da família de Gabi já consta do processo de Matheus. Ele, entretanto, ainda não sabe quando vai embarcar. “Minha maior revolta é que a União declara as mesmas coisas em todos os processos. Faz isso como forma de enrolar. Será que não se tocam que tem uma criança precisando de tratamento com urgência?”, desabafa a mãe de Matheus, que publicou a foto do filho no Facebook querendo ir embora do Brasil. Pela comoção dos gestos, recebeu milhares de compartilhamentos.
Por Sandra Kiefer _ Estado de Minas.
#compartilhem‪#‎vergonha‬ o descaso com as crianças
Cadê o protocolo que não existe pra este caso. Até quando vão continuar assim.
Já estou perdendo minha cabeca!!!

Campanha de doação de sangue na Vila Belmiro - Santos Futebol Clube




A próxima terça-feira (05) será muito especial para a Vila Belmiro. O Estádio Urbano Caldeira irá receber uma ação em prol da solidariedade. O Santos FC, em parceria com o Hemonúcleo de Santos, abrirá as portas para a doação de sangue. Trata-se da campanha “O Time da virada preparado para virar mais este jogo”.A entrada será pelo portão 6 e na Sala de Imprensa as pessoas poderão assistir a um vídeo institucional do Peixe. Na sequencia serão chamados para um entrevista. Os aptos para a doação serão levados para o vestiário da equipe profissional, onde acontecerá todo o procedimento. Tudo realizado por médicos e enfermeiros.
Os doadores ganharão lanche e ainda concorrerão a um prêmio. Uma camisa oficial autografada pelos jogadores do Santos FC. A ação será das 8 às 13 horas e faz parte do calendário de comemorações dos 104 anos do Clube. Veja aqui a programação completa.
“São muitas as pessoas que precisam de sangue. É uma coisa que não se compra. E a união dos torcedores será muito importante para realizarmos essa campanha com sucesso. Acreditamos que os santistas irão comparecer em grande número. O convite está feito. Moradores do bairro, da cidade, de toda a Baixada Santista. A solidariedade faz parte da história do Santos FC”, afirmou Silvia Maria Tagé Thomáz, uma das organizadoras do evento.
Importância da Doação de Sangue
O sangue é um tecido vivo que circula pelo corpo, essencial à vida. Todos os dias acontecem centenas de acidentes, cirurgias e queimaduras violentas que exigem transfusão, assim como os portadores de hemofilia, leucemia e anemias.
Além disso, doar sangue é um ato simples, tranquilo e seguro que não provoca risco ou prejuízo à saúde. Se cada pessoa saudável doasse sangue espontaneamente pelo menos duas vezes ao ano, os Hemocentros teriam Hemocomponentes suficiente para atender toda população. O sangue não tem substituto. Por isso a doação espontânea e periódica é fundamental. Uma única doação de sangue pode salvar várias vidas.
Doar sangue é uma atitude necessária, de solidariedade, cidadania e amor.

SOCIAL MEDIA

MARCADORES