quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Depoimento da doadora de medula óssea " Maria Helena Silva"



★DEPOIMENTO COMO DOADORA DE MEDULA ÓSSEA★ Maria Helena Silva <3

#GOTASSALVADORAS
#EUDOEIVIDAEMVIDA
#FAÇAOSEUCADASTRODEDOADORDEMEDULAÓSSEA
#VEMCOMAGENTESALVARVIDAS

Meu nome é Maria Helena .
Sou de Caxambu. Minas Gerais. 
Tudo começou na minha vida no ano de 2005. Quando na minha cidade houve uma grande campanha para cadastro de doadores de medula óssea. 
Eu já doava sangue antes. 
Essa campanha mexeu com meu coração. 
Muitos sabem que fiz doação, mas muitos não. 
Por isso decidi passar para vocês minha experiência. 
Eu gostaria de tirar o medo que muitos tem quando se diz em doar medula óssea. 
Foi com um ato solidário que entrei nessa luta. 
Não fui compatível com a pessoa na minha cidade, mas pedi muito à Deus para me usar. 
Passaram-se alguns anos e recebi uma ligação de uma assistente social do Redome. 
Me perguntando se eu ainda era voluntária a doação. 
Esta pessoa foi a responsável para entrar em contato comigo. 
Mais do que depressa respondi que sim. 
Daí me pediu para ir ao Hemocentro para a coleta de novas amostras de sangue para exames de probabilidade celular. 
Fui tomada por uma grande alegria. 
Pois ia poder salvar uma vida. .
Fiquei um bom tempo sem informações. 
Queria saber se ia doar ou não. 
Quando em outubro de 2013 recebi uma nova ligação de uma psicóloga do Redome. 
Me fez a mesma pergunta anterior. 
Se eu ainda era voluntária a doar medula óssea. 
Respondi que sim. 
Então ela me disse que eu era compatível com um receptor a 100%.
Me disse que eu não poderia conhecer o receptor. 
Nem liguei, pois queria doar. 
Quando em janeiro fui realizar novos exames de preparo psicológico e pré cirúrgico. 
Que pra minha alegria foram todos aprovados. 
Foi marcada para o dia 19 de fevereiro de 2014. 
Voltei para casa super feliz. 
Pois a hora estava chegando. 
No dia combinado, lá estava eu. Pronta para doar. 
Fui para o centro cirúrgico. 
E não demorou quase nada. 
Mais ou menos uma hora e meia. Fiquei em observação por um dia. 
E no dia seguinte me veio a informação que tudo tinha corrido super bem e que minha medula já tinha sido corrida no receptor e que ele passava bem. 
Que sensação de felicidade. 
Após o período de recuperação voltei pra casa. 
Voltei com um único pensamento. 
Uma pessoa que lutava pela vida ia poder viver porque eu tinha doado. 
Não senti medo em nenhum instante. 
A dor foi só um incômodo que passou em uma semana. 
Voltei as minhas atividades normais. 
Por isso eu posso dizer. 
Eu doei vida em vida. 
ISSO É TÃO LINDO.

Fonte: https://www.facebook.com/gotassalvadoras/photos/a.1418288241769283.1073741828.1418128181785289/1805697976361639/?type=3&theater

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SOCIAL MEDIA

MARCADORES