terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Entenda as diferenças entre leucemia, linfoma e mieloma múltiplo

Leucemia, linfoma e mieloma múltiplo são doenças hematológicas e têm alguns sintomas em comum, como anemia e surgimento de gânglios. Por essa razão muitas vezes são confundidas pelos pacientes. Porém, há muitos aspectos que as diferenciam, desde o diagnóstico até o tratamento, como explica Dr. Jayr Schmidt Filho, Médico Titular do Departamento de Oncologia Clínica do A.C.Camargo Cancer Center. Acompanhe a entrevista.

Atuação - Muitas pessoas confundem essas doenças. Por quê?

Dr. Jayr Schmidt Filho - O que há em comum entre as três é o fato de serem doenças hematológicas e terem manifestações semelhantes como anemia e sangramento. A leucemia é a mais conhecida. Por isso, quando o médico dá o diagnóstico de linfoma ou de mieloma, a primeira pergunta que o paciente faz é se isso também é leucemia. Mas não existe uma relação direta.

Atuação - Qual é a definição de leucemia, linfoma e mieloma múltiplo?

Dr. Jayr - Leucemia é um tipo de câncer que se origina na medula óssea, onde é produzido o sangue. É caracterizada conforme o tipo de célula que a originou e pode ser subdividida em: leucemia mieloide crônicaleucemia mieloide agudaleucemia linfoide crônica (mais comum em idosos) e leucemia linfoide aguda (chega a representar 30% dos casos de neoplasias na infância).

Já o Linfoma é um tipo de câncer que acomete os linfonodos (gânglios) e o sistema linfático. Pode ser classificado em linfoma de Hodgkin ou não Não-Hodgkin. Os linfomas podem ser indolentes (com evolução lenta) ou agressivos (que, apesar de avançarem rapidamente, respondem melhor à quimioterapia).

Por fim, o Mieloma Múltiplo também se origina de células do sistema imunológico, chamadas plasmócitos, que são linfócitos maduros. Acomete principalmente idosos a partir da sexta década de vida e, em menor proporção, pacientes mais jovens.

Atuação - Os sinais e sintomas dessas doenças também são diferentes?

Dr. Jayr - Sim, há diferenças. As leucemias podem se manifestar de diversas formas: anemia, fraqueza e fadiga excessiva; sangramento pela gengiva ou nariz; hematomas na pele; fezes ou urina com sangue, além de infecções de repetição. Uma observação importante é que as leucemias crônicas muitas vezes são assintomáticas e acabam descobertas em achados de exames. Em alguns casos, há ainda aumento do baço e desconforto abdominal, ou gânglios em regiões como pescoço, axilas e virilha.

Esses últimos sinais, por outro lado, são os principais nos casos de linfomas. Nos locais mais profundos, como o tórax e abdômen, podem formar grandes massas, comprometer as vias aéreas e comprimir a região próxima aos órgãos internos. Também podem provocar emagrecimento rápido sem dieta, sudorese noturna desproporcional e febre de origem desconhecida. No caso do linfoma de Hodgkin, especificamente, há possibilidade de coceira excessiva sem causa dermatológica.

Os sintomas do mieloma múltiplo são mais distintos, compreendendo lesões que provocam destruição óssea, insuficiência renal e perda de proteína na urina, às vezes com necessidade de hemodiálise. Outros sinais podem ser elevação dos níveis de cálcio no sangue, anemia, queda de glóbulos brancos e de plaquetas.

Atuação - E os fatores de risco?

Dr. Jayr - Entre os fatores conhecidos pela medicina, a leucemia mieloide aguda pode estar relacionada a uma terapia utilizada anteriormente, como quimioterapia e radioterapia. Outros riscos relacionados a fatores ambientais incluem exposição a combustíveis, solventes, pesticidas, inseticidas, tabagismo. A exposição a substâncias radiativas, como uso excessivo de raios-X, pode contribuir para o desenvolvimento de todos os tipos de leucemia.

Certas exposições prévias a vírus como o Epstein-Barr, HTLV1, HIV e à bactéria H.Pylori têm maior risco de desenvolver alguns tipos de linfoma, que também podem ser provocados por medicação imunossupressoras, usadas por pacientes transplantados, por exemplo.

Para o mieloma múltiplo não existem fatores de risco específicos, embora, assim como para outros tipos de neoplasias, seja sempre recomendável adotar hábitos saudáveis de vida, evitando o consumo de álcool e tabaco, mantendo uma alimentação equilibrada e praticando exercícios físicos.

Leucemias, linfomas e mielomas não são doenças consideradas hereditárias por definição, no entanto já foram vistos mais de um caso na mesma família.

Atuação - Como é o tratamento?

Dr. Jayr - Em linhas gerais, o tratamento de leucemia, linfoma e mieloma múltiplo é, principalmente, quimioterápico. A radioterapia associada à quimioterapia pode ser uma alternativa para alguns casos de linfoma. Em pacientes com mieloma múltiplo e boas condições clínicas pode ser recomendado o transplante autólogo de medula óssea. Esse procedimento consiste na coleta da medula óssea do próprio paciente, antes do transplante, para reimplante posterior.

Atuação - Que tipo de evolução tem ocorrido em relação a essas doenças?

Dr. Jayr - A evolução tem sido positiva para esses três tipos de câncer. Estamos diagnosticando mais e com mais precisão. Além disso, novos medicamentos surgem, aumentando a eficácia do tratamento e proporcionando melhor qualidade de vida ao paciente. Por exemplo, na leucemia mieloide crônica há possibilidade de utilização de drogas administradas via oral, que evitam a necessidade de sessões de quimioterapia realizadas em ambulatório.

Dr. Jayr Schmidt Filho - CRM 127063
Médico titular do Departamento de Oncologia Clínica

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SOCIAL MEDIA

MARCADORES