quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

World Cancer Day - Dia Mundial do Câncer



Dia Mundial do Câncer tem por objetivo difundir, ao maior número de pessoas ao redor de todo o mundo, a importância de se falar sobre câncer.
campanha, celebrada no dia 4 de fevereiro, é organizada pela UICC (União Internacional Contra o Câncer).
Neste ano, a mensagem #WeCanICan (#NósPodemosEuPosso, em inglês) está vinculada ao esporte para mostrar que nossas ações, sejam elas individuais ou coletivas, podem fazer a diferença no combate ao câncer.
E o A.C.Camargo Cancer Center - instituição membro da UICC e centro integrado de diagnóstico, tratamento, ensino e pesquisa do câncer - apoia esta causa.

Atividade Física e Câncer


A atividade física é qualquer movimento corporal produzido pelos músculos esqueléticos que requer gasto energético. A inatividade física foi identificada como 4º principal fator de risco para a mortalidade global, segundo a Organização Mundial de Saúde.

Saiba mais sobre a importância da atividade física para a prevenção do câncer, no tratamento e na reabilitação de pacientes oncológicos.
Você sabia?
Doenças cardiovasculares, câncer, doenças respiratórias e diabetes estão entre as principais causas de morte no mundo.

Prevenção
Caminhar, andar de bicicleta ou praticar esportes, por exemplo, podem trazer benefícios significativos para a saúde, como menor risco de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer e até depressão.
A atividade física atua também, indiretamente, na prevenção do câncer ao ser um elemento contra o sobrepeso ou diferentes graus de obesidade.
A obesidade desregula múltiplas vias hormonais, estando associada a altos níveis de insulina, baixos níveis de adiponectina (hormônio protéico que modula vários processos metabólicos, incluindo a regulação da glicemia o catabolismo de ácidos graxos), baixos níveis de testosterona, altos níveis de citocinas inflamatórias (que afetam a resposta imune) e cada um destes fatores podem ser determinantes para a progressão do câncer.

PREVENÇÃO


Caminhar, andar de bicicleta ou praticar esportes, por exemplo, podem trazer benefícios significativos para a saúde, como menor risco de doenças cardiovasculares, diabetes, câncer e até depressão.
A atividade física atua também, indiretamente, na prevenção do câncer ao ser um elemento contra o sobrepeso ou diferentes graus de obesidade.
A obesidade desregula múltiplas vias hormonais, estando associada a altos níveis de insulina, baixos níveis de adiponectina (hormônio protéico que modula vários processos metabólicos, incluindo a regulação da glicemia o catabolismo de ácidos graxos), baixos níveis de testosterona, altos níveis de citocinas inflamatórias (que afetam a resposta imune) e cada um destes fatores podem ser determinantes para a progressão do câncer.
Você sabia?
1 em cada 4 adultos no mundo não pratica atividade física suficientemente;
Mais de 80% da população adolescente do mundo também não pratica atividade física suficientemente;
É fundamental associar a prática de atividade física a uma dieta saudável;
Para trazer benefícios para a saúde, toda atividade deve durar pelo menos 10 minutos.  
 

TRATAMENTO


De acordo com National Cancer Institute (NIH), a sensação de fadiga é experimentada por uma grande quantidade de pacientes oncológicos e é o efeito colateral mais comum ao tratamento de câncer. Entre outras queixas relatam também a diminuição de força muscular e dor, o que exerce um grande impacto em sua qualidade de vida.
Converse com seu oncologista e sempre pratique atividades físicas com um acompanhamento profissional.
Cada caso deve ser avaliado individualmente, levando em consideração a intensidade dos exercícios, condições clínicas, físicas e necessidades dos pacientes.
Benefícios da atividade física para o paciente com câncer:
Melhora a aptidão muscular e cardiorrespiratória;
Melhora a saúde óssea e funcional;
Reduz o risco de quedas, fraturas de quadril ou vertebral;
São fundamentais para o equilíbrio de energia e controle de peso.

Uma das possíveis terapias é denominada cinesioterapia:
Melhora, restaura e mantém a força física;
Aumenta a resistência à fadiga;
Contribui para a mobilidade e flexibilidade;
Auxilia no relaxamento do corpo e na coordenação motora.

Você sabia?
Fadiga:
é o efeito colateral mais comum ao tratamento de câncer;
é diferente em pacientes com câncer, quando comparada à fadiga de pessoas saudáveis;
pode diminuir a qualidade de vida do paciente.


REABILITAÇÃO


A atividade física também é fundamental para pacientes durante a reabilitação.
Todo paciente oncológico requer atenção especial no pós-operatório, principalmente em cirurgias de grande porte. Entre os principais benefícios da prática de exercícios estão:
Manutenção do condicionamento cardiovascular e respiratório;
Evitar complicações respiratórias como pneumonia, atelectasias, diminuição dos volumes e capacidades pulmonares;
Manutenção da flexibilidade e da força muscular;
Evitar complicações motoras como Síndrome do imobilismo, Trombose Venosa Profunda, edema etc.

Para aqueles que já terminaram o tratamento do câncer a dica que vale é a geral:
Realizar atividade física sempre que possível;
Manter uma dieta adequada e balanceada;
Não se esquecer de relaxar e desfrutar de bons momentos de lazer.

O repouso completo é o principal meio fisiológico de restauração do desempenho físico e mental.
Lembre-se:
Proteja-se! Ao praticar atividade física em locais abertos e de exposição ao sol, use sempre filtro solar com fator de proteção, no mínimo, 30 e contra as radiações UVA e UVB. Lembre-se de reaplicar o produto a cada duas horas ou menos;
Beba líquidos! A hidratação é fundamental durante os exercícios para o melhor funcionamento do organismo;
Após as refeições é necessário manter um intervalo de repouso de aproximadamente 2 horas antes de iniciar qualquer atividade física;
Não force o seu corpo mais do que ele suporta. Ao sentir desconforto e dor após a prática de exercícios, consulte um médico.

Dicas
Tenha disciplina e objetivos
Estes são aspectos fundamentais para quem quer atingir bons resultados.

Não se esqueça
O primeiro passo é o mais difícil, mas quando os resultados começam surgir muitas pessoas adquirem uma melhor conscientização corporal e disposição para realizar suas atividades diárias.


Fontes:
http://www.accamargo.org.br/dia-mundial-cancer-2017/

O que é Linfoma?



O sistema linfático é lembrado pela maioria das pessoas como um tipo de sistema circulatório que, quando não funciona bem, provoca inchaço nos braços e nas pernas. Na verdade, este sistema é bem mais complexo e exerce funções vitais para o nosso corpo.
Por ele trafegam os linfócitos (um tipo de glóbulo branco), por exemplo, que são células responsáveis pela defesa do nosso corpo contra infecções. No sistema linfático também existem certas regiões chamadas linfonodos, ou gânglios linfáticos, que funcionam como um reservatório de diversos tipos de células do sistema imunológico.
Todos os invasores do nosso corpo, tais como bactérias, vírus, fungos, circulam no sistema linfático, e quando passam pelos linfonodos, são detidos e detalhadamente examinados. A partir desta análise por células especializadas, o nosso sistema imunológico sabe exatamente contra o que está lutando e recruta um grupo especial de células (os linfócitos) que vão atacar especificamente este inimigo.
O linfoma acontece quando certas células que moram no sistema linfático, e que deveriam nos proteger contra as bactérias, vírus, dentre outros perigos, se transformam em malignas, crescendo de forma descontrolada e “contaminando” o sistema linfático.
Divididos entre linfoma de Hodgkin (LH) e linfoma não-Hodgkin (LNH), ambos apresentam comportamentos, sinais e grau de agressividade diferentes. Mas a principal diferença está nas células doentes: enquanto o LNH apresenta apenas células com câncer, o LH apresenta células doentes, misturadas às células normais. 
Neste espaço você encontrará as informações completas sobre ambos os tipos de linfoma, seus sintomas, diagnóstico e tratamento. 


Fonte: Abrale

SOCIAL MEDIA

MARCADORES